About Me

Minha foto
Fortaleza, Ceará, Brazil
Apenas uma alma perdida nadando em um aquário, ano após ano, correndo sobre o mesmo velho chão... O que tenho encontrado? Os mesmos velhos medos...

Alice

Bom, essa é minha primeira postagem e sei que ninguém se importa todos estão ansiosos pelo conteúdo xDDD. Antes de tudo gostaria de dizer que, com este blog, não tenho nenhuma pretenção financeira ou profissional, apenas falar um pouco sobre mim e mostrar alguns lixos textos maravilhosos de minha autoria =D.
Ok, inspirado pelo nome do Blog, inicio-o com um conto de minha autoria, entitulado: Alice. Nesse post vou apenas colocar o conto, cru, e depois comentar um pouco das referências que usei e tudo mais... Bem, é isso aí, se algum dia alguém além da minha mãe ler este blog, espero que se mate por não ter nada melhor pra fazer aproveite e volte sempre =D


Alice-

Acorda Alice... O gato de cheshire se desfaz em um redemoinho de cores, ele é apenas um gato magro e sarnento que lambe, com sua lígua áspera, seus dedos de menina...
Dedos estes que não estão sendo usados pra tomar chá... não, não... o máximo que eles carregam é um controle de uma televisão velha, chiando ao fundo...
A programação acabou... passa das 4. Alice cresceu, encolheu... mas agora lhe parece menor que nunca.
Tirando a cabeça que dói, lateja, prestes a explodir. Mas Alice está pequena. pequena demais pra tentar entender o mundo... o mundo, as pessoas, a vida. Isso tudo está corroendo sua pele, batendo em sua alma. E ela sabe, sua alma é frágil. Aquele sonho, seu mundo de fantasias, aquele coelho tão doce e apressado...
O coelho se foi, mas o tempo continua passando.
Rápido, devagar, rápido, rápido, devagar... sempre indo de encontro ao que ela deseja... quando encontra um breve momento de felicidade, os ponteiros voam... quando algo está corrompendo-a, cada segundo é infinito. Naquele momento o relógio estava parado. Alice está acordada. O que aconteceu antes de seu sonho... talvez ela prefira esquecer.
O tempo se foi,
a canção terminou
pensei que tivesse algo a dizer.
Não tinha. O mundo era demais pra Alice. Aquele mundo de ilusões era tudo que tinha. Mas aquela lembrança parecia se formar em um espelho fosco e trincado... Seu rosto tentava se formar em milhões de pedaços de vidro. Mas é tarde.
Tristeza? Não, se Alice conseguisse juntar forças o bastante pra sentir qualquer coisa, talvez ela ainda tivesse alguma esperança. A única coisa que quebrava o silêncio dos pensamentos aleatórios em sua cabeça para. Cai a energia... calor e escuridão... Não que isso fosse um problema.
O céu começava a clarear... Alice previa que não veria a lua novamente... Ela começou pelo começo e seguiu.... seguiu até onde achou que fosse o fim, e parou. Ela não suporta ficar parada, mas não tem nenhuma motivação pra se mexer... Egoísmo nunca foi uma das suas características... mas nada parecia importar muito. Acabar com aquela dor em sua cabeça e se livrar do vazio, aquilo sim parecia fazer sentido. Quando se está cheio, ainda há algo a despejar,
mas quando tudo se torna vazio... é o fim da linha... Era só nisso que ela conseguia pensar.
Não importa se está comendo o que vê, ou vendo o que come.... porque não há nada em suas mãos, a comida acabou e a vontade de comer já não existe mais.
Uma carta, não de copas, é tudo o que Alice, em seu estado latente, consegue escrever. Não mais que 15 linhas,não mais que meia dúzia de explicações. Uma corda, um banquinho.
Alguns dias depois ela é encontrada. Com seu vestidinho azul, de babado, descalça. Seus cachos não pareciam tão belos, mas sua feição era, impressionantemente, serena.
A rainha ficaria orgulhosa, finalmente conseguiu a cabeça da jovem Alice.

10 Comments:

  1. Anônimo said...
    eu li, eu gostei, eu shorei e eu tenho no pc faz um tempo jah!
    Nichollas Fonseca said...
    Não é exatamente novo, alguns amigos mais próximos já haviam lido ^^
    Natan said...
    pelo q eu entendi essa alice aí é uma velha bêbada.. acertei? xD
    Nichollas Fonseca said...
    Cara, na verdade nem eu sei... Tiop, esse é 1 conto que faz parte de uma "novela" que eu estou criando, daew tipo, essa "cena" me veio a cabeça e eu escrevi, mas o universo por trás ainda não é claro... então você tira as próprias conclusões por enquanto... e é isso que deixa interessante, eu acho.
    Natan said...
    nisso q dá ficar fumando mta maconha velho XD
    guilherme.s.lopes said...
    Pô cara, muito bom.. Parabéns, é sério, da primeira vez que li, eu só fui entender na última linha... Aí eu li de novo, com outro olhar, e tudo foi sendo explicado à medida em que eu ia lendo.. Só fiquei na dúvida sobre a origem desta Alice, uma Alice com vestido azul, de babado, mas ao mesmo tempo morta..
    Arthur said...
    Quero muito ler essa novela. :D
    Anônimo said...
    Vs axa q tem mta gnte q qr ser a Alice?
    Nichollas Fonseca said...
    A minha Alice? Bom, com certeza muitos se encontram nessa situação, acho que -querer- é muito complexo de se afirmar, até porque é muito duro "acordar" de um mundo de fantasias e se deparar com o vazio.
    Milena Kury said...
    caraca Nick ._.

    eu diria q a jovem Alice acordou do seu mundo maravilhoso de utopias e n aguentou o q viu... é sempre mais fácil viver um sonho, mas nem todos tem coragem pra enfrentar todo o torpor de uma vida =s
    talvez se n nos deparássemos com uma visao fantástica do q "deveria ser" a vida se tornasse mais tolerável neh ;x

    ps. adoro Alice. A original e a sua :3

Post a Comment




 

K2 Modify 2007 | Use it. But don't abuse it.